Doctor Who e o desaparecimento das abelhas

Buenas, pessoas! Essa semana foi corrida e a postagem costumeira de terça…bem…ficou para quarta mesmo. Sorry!

Mas voltando a programação normal, vamos ao assunto de hoje: eu adoro a quarta temporada da série nova de Doctor Who. Ela junta muitos elementos que eu gosto: o Décimo Doutor (saudades, David Tennant), minha companion preferida (Donna Noble) e… abelhas.

Sim, abelhas.

Não sei se vocês se lembram, mas abelhas são constantemente citadas durante essa temporada. Quando Donna e o Doctor se encontram no primeiro episódio da temporada, Partners in Crime, ela fala sobre vários fenômenos estranhos ocorrendo. Entre eles, o desaparecimento das abelhas. Esse mistério do desaparecimento das abelhas vai ser elucidado só no episódio Stolen Earth, mas é um tema recorrente na temporada inteira. Em Planet of the Ood são citados o aquecimento global e o desaparecimento de abelhas; em The Unicorn and the Wasp as abelhas são novamente mencionadas (e a Agatha Christie aparece, adoro!); em Turn Left, apesar do besouro ser a atração principal, dessa vez a mãe da Donna cita as abelhas. No final da temporada é que sabemos que as abelhas (que não era abelhas “terráqueas”, mas Migrant Bees) não estavam desaparecendo, mas retornando para sua casa (o planeta Melissa Majoria) devido ao grande distúrbio ocorrente na Terra causado (é claro) pelos Daleks.

Bom, mas e aí, por que esse furor todo ao redor do desaparecimento das abelhas?

Porque ao contrário das Migrant Bees que estavam voltando para Melissa Majoria, as nossas abelhas, essas sim, estão desaparecendo. E o problema não é de hoje (lembrando que a quarta temporada de Doctor Who foi ao ar lá por 2008 e o tema já estava sendo abordado).

O nome para o fenômeno é Colony Colapse Disorder (ou “desordem de colapso de colônia”, numa tradução livre). Então, supondo que você é um apicultor, e tem uma colmeia com suas abelhinhas. Um belo dia as operárias saem para forragear (buscar néctar/pólen/água/resina vegetal) e não voltam. E no outro dia saem mais abelhas e não voltam. E quando você vai abrir a colmeia e conferir se está tudo bem, encontra apenas a rainha, umas poucas operárias (ou nenhuma) e os favos com a cria imatura (as larvas em desenvolvimento). Onde deveriam ter milhares de abelhas.

Quando começou?

Lá por 2006 começaram os primeiros registros de desaparecimento de abelhas nos EUA e Europa. Principalmente nos EUA, onde as abelhas melíferas (aquela do ferrão, que adora a sua coca-cola :P) são extensivamente utilizadas para a polinização de amendoeiras. Mas os problemas não ocorrem apenas por lá. No Brasil as abelhas também estão sofrendo com desaparecimento e os registros de morte tornaram-se cada vez mais frequentes.

O que pode estar causando?

Diversos fatores vem sido cogitados desde que o problema surgiu. Entre eles a degradação ambiental, causada por queimadas e desmatamento. Outro fator é o uso de pesticidas, que afetam o sistema nervoso das abelhas e as desorientam, além de causar efeitos subletais como má formação de estruturas morfológicas e redução de tamanho. Além disso, as abelhas (assim como nós) são vulneráveis à patógenos, como vírus, fungos e ácaros ectoparasitas (pense neles como um “carrapato de abelhas”). Lembrando que todos esses fatores podem combinar-se entre si, fragilizando ainda mais esses insetos.

Mas são só as abelhas melíferas que estão sumindo?

A preocupação inicial era com as abelhas melíferas (Apis mellifera), quando começaram os primeiros registros de desaparecimento. Mas as abelhas nativas sem ferrão, o grupo de abelhas sociais nativas da América do Sul (as abelhas melíferas foram introduzidas no Brasil por volta de 1840, posso contar essa história outro dia caso tenham interesse) também estão vulneráveis a esse fenômeno. Fora as abelhas solitárias – a maioria das espécies de abelhas existentes são solitárias – que por falta de conhecimento da biologia (e muitas vezes de sua diversidade) acabam sendo negligenciadas.

Por que eu deveria me preocupar com isso?

Bom, só o fato de que as abelhas estão sumindo já é suficientemente preocupante. É um reflexo da degradação ambiental que estamos sofrendo (e causando). E, ao contrário das Migrant Bees que puderam voltar para Melissa Majoria, o lar das nossas abelhas é a Terra, elas não tem para onde fugir.

Utilizando argumentos mais persuasivos…todos nós precisamos comer. E 70% da produção agrícola é dependente de polinização das abelhas. As abelhas, ao visitarem as flores, aumentam o número de frutos, o peso de frutos, número de sementes, incrementam a produção de diferentes formas. Sabe aquele moranguinho meio torto que você não quis comprar no supermercado? Pois é, ele seria maior e mais uniforme se tivesse sido visitado por abelhas.

Sei que me empolguei e o texto ficou extenso, mas esse é um assunto muito importante e que todos devemos estar cientes. Mais, uma série de ficção científica como Doctor Who há 8 anos atuou como ferramenta de divulgação científica (ainda que indireta) em relação a um problema como esse, que ainda estamos enfrentando.

Se vocês quiserem saber mais sobre o assunto, recomendo o semabelhasemalimento.com.br, site da campanha nacional para a conscientização da população sobre a situação das abelhas.

Foto 1: Visual hunt
Foto 2: CamiSilver via Visualhunt / CC BY-NC-ND
Foto 3: jim_mcculloch via Visualhunt / CC BY
Anúncios

Um comentário sobre “Doctor Who e o desaparecimento das abelhas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s